O suspiro daquele que procura o conhecimento – Nietzsche

“O maldita avidez! Nessa alma não há desinteresse – pelo contrário, um eu que deseja tudo e que, através de mil indivíduos, quereria ver como com seus olhos, agarrar com suas próprias mãos, um eu que recolhe ainda todo o passado, que não quer perder nada daquilo que poderia lhe pertencer!
Maldita seja essa chama de minha avidez! Ah! Pudesse eu reencarnar-me em mil seres!” – Aquele que não conhece por experiência este suspiro, não conhece tão pouco a paixão daquele que procura o conhecimento.

  • Nietzsche em A gaia ciência.