Nazismo – Gérard Rabinovitch

É assim, por outro lado, que o “higienismo político”, como não deixa de sublinhar Bauman, se abastece das semânticas de Pasteur. “A linguagem e a retórica de Hitler transbordavam de imagens de doença, de infecção, de contágio, de putrefação e de pestilência. Ele comparava o cristianismo e o bolchevismo à sífilis ou à peste, ele falava dos judeus como se estes fossem bacilos, germes de decomposição ou vermes”. “Os executantes da vontade de Hitler falavam da execução dos judeus como “cura” da Europa, “autolimpeza” e “limpeza da mancha judaica”.

Trecho retirado do artigo: Preocupa o teu próximo como a ti mesmo – Notas críticas a modernidade e holocausto, de Zygmunt Bauman. – RABINOVITCH, Gérard.